terça-feira, 27 de julho de 2010

Todas as pedras são preciosas

Pedras semi-preciosas, este termo muito usado especialmente no Brasil, há muito tempo não é usado, mas ainda assim, existem muitas pessoas que acreditam nessa distinção entre as pedras naturais, muitas veses por falta de conhecimento, ou porque simplesmente escutam outras pessoas dizerem e dizem também, por isso eu achei interessante, compartilhar com todos esse texto que encontrei recentemente em uma pesquisa que eu fiz na internet, escrito pelo Ilustre Pércio de Moraes Branco, vejam, e de uma vez por todas excluam esse mito de seu vocabulário, para que esse terrivel engano não possa permanecer em nossa cultura:

O Brasil não possui pedras semipreciosas

"O título acima pode surpreender muita gente, uma vez que o nosso país é reconhecidamente um grande produtor de gemas e o Rio Grande do Sul destaca-se pela produção de ágata e ametista. A afirmativa, propositalmente provocadora, justifica-se, porém, pois não é mais admissível - se é que alguma vez o foi - separar as gemas em preciosas e semipreciosas.

Embora esteja correta a denominação pedra preciosa, o mesmo não se dá com pedra semipreciosa, e são várias as razões para isso. A principal delas é que nunca houve consenso sobre quais pedras seriam consideradas preciosas. Normalmente, eram assim classificados o rubi, a safira, a esmeralda e o diamante. Alguns autores, porém, incluíam também a opala preciosa e o crisoberilo, por exemplo. E outros, a pérola.

Outra razão para não se separar as gemas em semipreciosas e preciosas é a inutilidade dessa distinção. Para o Brasil, que produz boa quantidade de esmeralda e diamante mas quase nada de rubi e safira, a distinção, mais do que inútil, é muito prejudicial.

Mas não ficam aí os argumentos contra a classificação semipreciosa. Embora esmeralda, rubi, safira e diamante sejam usualmente gemas caras, uma esmeralda e mesmo um diamante podem valer menos que uma granada mais rara, por exemplo.

Por esses motivos, o termo semipreciosa caiu em desuso em quase todo o mundo, sobrevivendo apenas em alguns países, entre eles o Brasil.

Gemólogos de renome internacional condenam de modo enfático seu emprego. Robert Webster considera-o insatisfatório, lembrando que foi abandonado por consenso geral.

Walter Schumann afirma que a designação ainda é usada no comércio mas não é uma expressão correta porque muitas pedras chamadas semipreciosas são mais valiosas que as preciosas, não havendo uma linha divisória real entre as pedras mais ou menos valiosas.

Joel Arem lembra que, no passado, os termos preciosa e semipreciosa foram amplamente usados, mas que hoje seu uso cria confusão.

Mas não são apenas os gemólogos que condenam o termo. Também os joalheiros mais bem informados o fazem. Diz Erich Merget que a denominação semipreciosa, atualmente muito utilizada, deveria ser totalmente abandonada. Até hoje, ninguém foi capaz de explicar a origem dessa expressão absurda, completa ele.

O termo gema tornou-se designação comumente aceita para todas as pedras ornamentais de valor, eliminando a anterior distinção artificial entre as chamadas pedras preciosas e semipreciosas, afirma Jules Sauer.

Hans Stern, proprietário da H. Stern, empresa brasileira com 90 joalherias no Brasil e mais 85 espalhadas por quatorze países, é mais radical: uma pedra é preciosa ou é um pedaço de paralelepípedo. Não há alternativa e, portanto, não há significado na expressão semipreciosa. É ele também quem diz que não existe pedra semipreciosa assim como não existe mulher semigrávida.

Não é por acaso, pois, que Aurélio Buarque de Holanda Ferreira registra, em seu famoso dicionário, pedra preciosa mas não não se refere a nenhuma pedra semipreciosa.

Coerente com esses posicionamentos, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) recomenda evitar sempre o uso da palavra semipreciosa, substituindo-a por preciosa, salvo nos casos de exigências comerciais ou legais (NBR 10630). A ressalva justifica-se porque a Itália dá um tratamento diferenciado às gemas importadas, com taxação menor para as que chegam ao país classificadas na origem como semipreciosas.


Portanto, não se constranja de chamar ágata, ametista, citrino, topázio, água-marinha, turmalina, etc. de pedras preciosas. E chame de jóia, não de bijuteria, seu brinco, anel ou outra peça confeccionada com gemas que você considera baratas.


O setor joalheiro, como qualquer outro ramo de vendas, trabalha com produtos caros e baratos e o preço nunca foi motivo para uma gema deixar de ser preciosa."

Autor Wilian Sales
Site: www.elegancianatural.com.br

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Saiba mais sobre as Pedras Preciosas

Ágata:
O nome Ágata “Ag’it” ou “Achates” é derivado do nome do rio Achates, agora Drillo na Sicília, onde foi encontrada primeiramente. É a pedra mais criativa da família dos quartzos, pode ser encontrada em vários tons de cores e texturas, é na verdade um conjunto de varias formas de sílica, principalmente calcedônia. A ágata foi muito valorizada nos tempos antigos, por ser usada como talismã ou amuletos. Existem muitas variedades de Ágatas. A Alemanha, era a maior produtora de Ágata, até o Século XIX, hoje suas jazidas estão esgotadas, o Brasil é um dos maiores produtores de Ágata atualmente.

Água Marinha:
O nome é devido a sua cor, do latim “acqua marinae”. É uma das gemas mais populares. Assim como a esmeralda e a morganita, pertence ao grupo dos berilos. A cor vai de um tom azul pálido quase incolor, à um azul forte intenso e quanto mais intenso mais é valiosa. Algumas apresentam um tom de azul esverdeado, é uma característica típica de onde ela minou. As maiores jazidas e as pedras mais famosas estão no Brasil, são as águas marinhas de Santa Maria - ES, também é encontrada em outros países. A maior pedra encontrada foi no Brasil, com 110 Kg. É uma das gemas preferidas dos designers modernos.

Alexandrita:
Uma das mais místicas pedras. É uma "esmeralda" de dia e um "rubi"de noite. À luz do dia é verde e, com luz artificial, vermelha. Quanto mais espessas as pedras, maior a facilidade de se ver a mudança de cor. Seu nome, alexandrita, deve-se ao Czar Alexandre II. As histórias contam que foi descoberta em 1830 no mesmo dia que o Czar Alexandre II fazia aniversário e o seu nome foi dado a pedra. A maior alexandrita lapidada pesa 66 ct e está em Whashington.

Curiosidades: Por ter sido encontrada pela primeira vez na Rússia, era muito apreciado pelos aristocratas russos. As cores vermelhas e verdes desta gema são as cores militares do czarismo. É uma pedra sofisticada e acredita-se que mostra o lado mais refinado e mais elegante da vida.

Ametista :
O nome vem do Grego "amethystos", significa "não ébrio", "não bebido". É a pedra mais apreciada da família dos Quartzos. A sua cor é violeta púrpura, podendo ser mais profundo ou mais suave, também é encontrada com faixas brancas de quartzos leitosos. Esta pedra ocupou destaques importantes em ornamentos católicos ao longo dos séculos, considerada a pedra de Bispos e Cardeais. No século XVIII era muito valorizada, após descoberta de jazidas no Brasil se tornou uma pedra de médio valor. Quando têm formato de pirâmides, a cor mais intensa predomina nas pontas dos cristais. Existem algumas variedades de ametista, podendo apresentar faixas brancas de quarzo leitoso. A ametista é encontrada em muitos países, mas os maiores depósitos estão no Sul do Brasil e no Uruguai.

Berilo:
Assim como a Esmeralda e Água-marinha o Berilo é do mesmo grupo ou família, é uma gema que pode ter várias cores, como o tranparente, amarelo, verde e rosa. Sua composição é de Silicato de alumínio e berilo. Os principais centros de extracção do Berilo é no Brasil, mas também pode ser encontrado nos EUA, na Africa, Australia e Índia . Tal como para as restantes gemas, temos que as proteger de riscos e de temperaturas elevadas, pois apesar de ser uma pedra resistente devemos ter cuidados para não danifica-la e não arranha-la.

Citrino:
O nome, citrino, é derivado de sua cor amarelo-limão (do latim citrus). Os citrinos de cor amarelo intensa chamado de "citrinos madeiras" são raros e muitas veses são chamados, erroneamente de topázio, devido a semelhança de sua cor. As jazidas mais importantes de citrino estão no Brasil, República de Malgaxe, EUA, Espanha e Montes Urais. Admirado por sua beleza e durabilidade, o citrino é uma boa escolha para o uso diário. Deve-se apenas tomar o cuidado de removê-lo quando for praticar atividades que possam riscá-los.

Diamante:
O nome diamante vem do grego e significa "inconquistável, indomável" devido a sua dureza. Há, na história, diamantes famosos, principalmente por seu tamanho ou por sua cor. No Brasil, os primeiros diamantes foram encontrados em 1725, em Diamantina-MG. Durante os séculos XVIII e XIX, o Brasil liderou a produção mundial de diamantes, superado depois pela África do Sul. Apenas 20% dos diamantes são utilizados para joalheria, todo o resto é aproveitado na área industrial. Atualmente, a África do Sul é a maior produtora de diamantes do mundo. Foram encontradas, neste país, chaminés vulcânicas que contém a rocha matriz diamantífera. Podem ser encontrados também em muitos outros lugares da Terra, como o Brasil e a Sibéria.
O diamante é a pedra mais durável de todas as pedras preciosas existentes. O único cuidado que deve-se ter com os diamantes é guardar separado de outras jóias, pois pode riscá-las.
Esmeralda:
A esmeralda, assim como o berilo e a água-marinha, é do grupo do berilo e é a pedra mais nobre dele. O seu nome provém do grego "smaragdos", mas a origem provavelmente é do hindu antigo e significa "pedra verde". Somente as qualidades mais preciosas de esmeralda são transparentes. Geralmente esta pedra aparece com inclusões e estas não são consideradas defeitos desde que não sejam importantes. Estas inclusões, muitas vezes, são prova de que a pedra é autêntica. As jazidas mais importantes de esmeralda estão na Colômbia. A melhor delas foi explorada pelos incas e posteriormente abandonada. No séc XVII esta jazida for redescoberta e possui esmeraldas de qualidade muito fina. Existem também jazidas no Brasil e no Zimbabue.
A esmeralda não deve ser utilizada em atividades como esportes, trabalhos de casa ou qualquer outra atividade onde a esmeralda possa receber pancadas. A esmeralda é uma pedra muito sensível a batidas fortes e riscos. Deve-se evitar também mudanças de temperatura repentinas.

Espinélio ou Espinel (Spinel):
Muitos rubis, famosos por se acharem incrustados em coroas da realeza são, na verdade, espinelas. A mais famosa é a 'Black Prince's Ruby', uma espinela de 170 quilates, de um vermelho magnífico, que adorna a coroa imperial do estado entre as jóias da coroa britânica. Henrique V chegou a usá-lo no seu capacete de batalha. O rubi de Timur, uma gema vermelha de 352 quilates, actualmente propriedade da Rainha Elizabeth II, tem a marca de alguns imperadores que o possuíram antes, conferindo-lhe inegável prestígio. Em Mianmar, onde são encontradas algumas das cores mais deslumbrantes de espinelas, esta gema foi classificada como uma espécie distinta do rubi em 1587. Noutros países a confusão com o rubi manteve-se por centenas de anos.
Apreciada atualmente pela sua própria natureza, o espinélio ou Spinel (Como é reconhecida Internacionalmente) é uma das pedras preciosas preferidas dos negociantes e coleccionadores de gemas devido ao seu brilho, dureza e ao largo espectro de cores deslumbrantes.
Tem interesse particular, uma variedade cor-de-rosa quente, vívido, com laivos laranja, explorada nas minas de Mianmar o que lhe dá características únicas como gema. O Spinel aparece também em tons azuis e é, então, designada como Espinélio de cobalto, sendo estes exemplares raríssimos. O espinélio é uma gema resistente, perfeita para a indústria da joalharia. Facetada, o mais das vezes é talhada em forma oval ou circular, sendo muito difícil de encontrar em tamanhos calibrados dada a sua raridade.

Granada:
é uma gema que pode ter várias cores, à excepção do azul. os tons rubros vão desde o framboesa ao vermelho cor de sangue. Os tons verdes são equivalentes aos das esmeraldas, existindo ainda granadas em tonalidades de amarelo, laranja e castanho. Os variados aspectos das granadas possibilitam uma utilização adequada a todos os gostos e acessível a todos os bolsos. O nome granada não designa uma gema, mas um grupo de gemas. As granadas mais importantes como pedras preciosas são piropo (a mais valiosa), rodolita, tsavorite, almandina, espessartina, grossulária, hessonita e andradita. Conforme a espécie, pode-se ter granada incolor, vermelha (a mais comum), amarela, marrom, preta e até verde (chamada demantóide).
Os principais centros de extração de granadas são a África do Sul, o Sri Lanka, Madagáscar, Brasil, Índia e Austrália.

Olho de Gato
Pedra do Grupo Quartzo, possui uma beleza rara, geramente é uma pedra de duas cores, ou verde com cinza, ou marrom avermelhada. As inclusões anfibolicas, que proporcionan nela essa bela mistura de cores, e transforma essa pedra em um mineral muito desejado pelos joalheiros, para ser usada em belas jóias , por causa da sua beleza natural e mistica. O olho de gato é encontrado na Australia, Africa do Sul, EUA e Brasil. O sua composição de origem é o dióxido de silício, a sua dureza é 7 na escala mohs.

Ônix
É uma variedade da ágata. Também é chamado de "pedra unha". Usado com freqüência para confecção de camafeus. O ônix preto era muito valorizado para contas de rosários (terços). O livro "The Magick of Kiram, King of Pérsia" publicado em 1686 afirmava que era possível ficar invisível usando-se um anel de ônix! Existem ônix com variadas cores uns de faixas brancas alternando-se com preto, marrom, vermelho, verde e preto.

Opala
As opalas são pedras conhecidas pela sua grande variedade de cores na mesma pedra. Seu jogo de cores varia segundo o ângulo em que se olha. Há tempos atrás, estas cores eram explicadas como sendo uma refração da luz sobre lâminas muito finas .Hoje sabemos que são minúsculas esferas do cristal cristobalita inclusos em uma massa de sílica.
O nome OPALA é de origem sânscrita "upala" que quer dizer pedra preciosa .
Opalas de elevada qualidade chegam a ser mais valiosas que os diamantes, podendo chegar a U$ 20.000 por quilate. Até o inicio deste século, as opalas mais nobres provinham da extremidade oriental da Tcheco-Eslováquia. Logo depois foram encontradas jazidas australianas, de boa qualidade. Existem jazidas também no Brasil, Guatemala, Honduras, Japão e EUA. Acredita-se que as opalas demoram aproximadamente 60 milhões de anos para se formar.
A opala é uma pedra que sempre contém um pouco de água em sua composição. Sua proporção varia de muito pouco a 30% de água. Com o tempo, a pedra pode perder sua água e ficar com fissuras e diminuir sua opalescência. Embebendo a pedra em azeite ou água, as fissuras desaparecem, ainda que temporariamente. Para impedir seu envelhecimento e incrementar seu jogo de cores, é aconselhável guardá-la em algodão úmido. É uma pedra muito sensível também à pressão e golpes, assim como ácidos e álcalis. Mantenha sempre longe de mudanças bruscas de temperatura e produtos de limpeza.

Peridoto:
O nome desta pedra é derivada do grego, mas seu significado é desconhecido. Crisólita, um sinônimo, significa (do grego) "pedra de ouro". Em mineralogia, o nome usado para o peridoto é Olivina (por sua cor verde-oliva). O maior peridoto lapitado pesa 310ct e está em Whashibgton (E.U.A.). As jazidas do Mar Vermelho e Zebirget vem sendo exploradas há 3.500 anos. Pedreiras na Birmânia produzem pedras muito boas. Os peridotos também podem ser encontrados na Austrália, Brasil (Minas Gerais), África do Sul, E.U.A e Zaire. No norte da Ásia existem peridotos lapidados procedentes de um meteorito caído em 1749, na Sibéria
Embora o peridoto seja uma pedra recomendada para uso diário, deve-se tomar cuidado com os riscos e as mudanças de temperatura extremas.

Pérola
A origem da palavra pérola vem do latim e seu significado talvez venha de um molusco "perna" ou devido a sua forma esférica "sphaerula". As pérolas são produzidas por moluscos e seu tamanho varia do de uma cabeça de alfinete e o de um ovo de pomba. A maior pérola encontrada pesa 450 quilates. A pérola se origina de uma reação do molusco a corpos estranhos que penetram no seu interior. As pérolas cultivadas não são uma imitação, mas sim uma forma do homem colaborar para sua formação natural. A produção das pérolas cultivadas é causada pela introdução de corpos estranhos nos moluscos. As pérolas de melhor qualidade encontram-se no Golfo Pérsico (pérola do oriente). Existe também extração na Índia e Sri Lanka, na Austrália e na América Central. As pérolas cultivadas são produzidas em larga escala no Japão.
As pérolas têm que ser armazenadas separadamente das outras peças, envolvidas em tecido. Limpe-as com um pano úmido e evite produtos químicos da casa, produtos para os cabelos, cosméticos e perfumes pois tiram o brilho das pérolas

Quartzos

Quartzo Cristal: Conhecido também como Cristal de Rocha. A palavra cristal deriva de krystallos (palavra grega que significa gelo). Na antiguidade acreditava-se que o cristal de rocha era um gelo eterno.

Quartzo Fumê: Também conhecido com Murion e Smoky Quartz, é uma pedra muito utilizada em joalheria, por sua beleza profunda, um anel, um pingente ou brinco, ficam muito bonitos usando-se o quartzo fumê, e uma das vantagens desssa pedra, é que a maioria são de claridade boa, sem inclusões, o que a torna uma pedra muito brilhosa dependo da sua lapidação e ao mesmo tempo discreta por causa da sua cor marrom.

Quartzo Rosa: também da família do quartzo, é uma pedra que simbolisa a feminilidade e jovialidade, pois é muito usado por moças, e meninas. É uma pedra resistende, que pode ser usada diariamente e tem um preço realativamente pequeno.

Quartzo Verde: Cristais de quartzo verde, ou calcedonia, como é muito chamado, é uma variedade mais classica do quartzo, por ser a cor verde muito preeferida por muitos joalheiros e pessoas amentes de jóias, e por ser de um valor não muito alto e ser uma pedra bonita, este mineral é muito bem aceito no mercado.

Quartzo Cristal Rutiloso: Da mesma famíla do Quartzo Cristal é um quartzo diferente por ser riscado naturalmente, da onde vem o seu nome rutiloso. Assim como o Quartzo Cristal, é uma pedra muito resistente e muito admirada pela sua belesa devidos aos rutilos naturais que se encontram dentro da pedra. Existem rutilos de cores variadas.

Rubi:
O nome rubi vem do latim "Ruber" que significa vermelho. Assim como a safira é do grupo dos Coríndons. É o mineral mais duro depois do diamante. Assim como as esmeraldas, possuem muitas inclusões que são provas de sua legitimidade. Apenas 1% dos rubis são utilizados para joalheria. Os rubis grandes são raros e muito valiosos. O maior rubi digno de ser lapidade tinha 400ct e foi encontrado na Birmânia. As jazidas de Rubi estão localizadas principalmente em Sri Lanka, India, Birmânia, Tailândia e Tanzânia.
O Rubi é a mais durável das pedras preciosas depois do diamante. Para assegurar longa vida de sua jóia proteja-a dos riscos.

Safira:
O nome Safira, vem do grego e significa "azul". Antigamente, o nome safira era utilizado para designar todas as pedras azuis. A safira pertence ao mesmo grupo do rubi, o grupo dos coríndon. As safiras possuem diversas cores, desde o azul, amarela, roséa, laranja pois a única cor da família dos coríndons que não é safira é a vermelha, que é o rubi. Em 1966, foi encontrada a maior safira estrelada ( astérica), um cristal de 63.000 quilates (=12,6kg).
As jazidas mais importantes de safiras estão na Austrália (Queensland desde 1870), Birmânia, Norte da Africa, Sri Lanka e Tailândia. As melhores Safiras vinham, antigamente, de Kashmir, na Índia; a jazida se encontrava a 5000m de altitude e estava sendo explorada desde 1880 e parece estar esgotada É uma pedra muito resistente, um dos mais duráveis. Deve-se apenas tomar cuidado com os riscos.

Topázio:
Normalmente pensa-se no Topázio como amarelo dourado, transparente. no entanto, ele pode ainda ser amarelo-laranja, vermelho, cor de mel, cereja escuro, verde claro, azul e rosa. O nome Topázio deriva da palavra Grega (Bllhar) e também se aplica à palavra fogo. O Topázio Imperial e os Rosas são os mais valiosos. O Topázio encontra-se no Brasil, na Nigéria e no Sri Lanka
Recomenda-se tirar o Topázio para atividade que possam gastar, riscar ou quebrar a pedra..

Turmalinas:
Nenhuma gema possui tanta variedade de cores como a turmalina. Os holandeses levaram as turmalinas á Europa em 1703. O nome vem do singalês, turamali. As turmalinas de uma só cor são muito raras. Num mesmo cristasl ocorrem, com frequência , distintas tonalidades e inclusive cores.

Turmalina Azul: Também conhecida como Turmalina Indicolita, é uma classe de turmalina muito rara, quase escassa, muito desejadas pelos peritos de pedras preciosas.

Turmalina negra: É uma pedra muito bonita e resitente, ela das turmalinas é a única que só é encontrada na claridade opaca, não existe turmalina preta transparente, também é muito encontrada nos quartzo cristais, dando-se o nome assim quartzos turmalinados.

Turmalina Paraíba: É conhecida por este nome, devido ao estado da Paraíba no Brasil onde ela foi descoberta por Heitor Dimas, é considerada uma pedra muito rara e de um valor muito alto, esta é uma das pedras preciosas mais valiosa que o Brasil possuí. A cor azul desta pedra é diferente por causa do cobre eo maganês encontrado em sua composição.

Turmalina Vermelha: Conhecida também como Turmalina Rubelita, esse nome é por causa da semelhança de sua cor com a do rubi, e foi uma forma de classifica-la, é uma pedra muito admirada na joalheria e por colecionadores e o seu valor depende muito da sua claridade e da intensidade de sua cor, também é encontrada na cor rosa "pink".

Turmalina verde: é turmalina mais comum a se rencontrada, mas também a sua tonalidade de verde varia muito de pedra para pedra, e assim como a turmalina rubelita, o seu valor depende muito de sua claridade, limpesa e intensidade. Também é muito apreciada na joalheira e por colecionadores.

Turmalina Bicolor: `Conhecida também como "Turmalina Melancia", por causa da sua cor verde e rosa, e muitas veses amarelada, é uma pedra muito apreciada por colecionadores, e muito usada para fazer jóias exóticas, por causa da sua beleza. É uma pedra com um valor razoávelmente caro, dependendo da sua qualidade e do seu corte ou lapidação.

As jazidas mais importantes de turmalinas é em Sri Lanka, República de malgaxe, Brasil e Moçambique.

Turquesa:
O nome turquesa pode ter sido dado com referência aos turcos, que introduziram esta pedra na Europa. Costuma-se lapidá-la na forma de cabochão e não facetada, pois além de ser uma pedra opaca, possui veios terrosos escuros. As jazidas do Sinai foram exploradas à 4.000 anos a.c. As melhores turquesas são encontradas no Irã (turquesa persa). Outras jazidas podem ser encontradas no Afeganistão, Austrália, China (Tibet), Israel, Tanzânia e EUA.
A natureza porosa e a baixa dureza do mineral torna as pedras muito sensíveis pois podem perder sua cor e seu brilho facilmente. Esta pedra pode sofrer alterações pelo suor da pele, cosmésticos ou pela perda de sua umidade natural. Deve-se tomar cuidado com riscos ou raspões.
Autor: Wilian Sales